16/12/2018 (75) 99274-4456

Mundo

Ifarma

O drama dos homens sequestrados e forçados a se casar na Índia

Por Portal TNews 13/04/2018 às 20:08:03

"Eles me sequestraram, me golpearam e me obrigaram a me casar". A revelação é de Roshan Kunar, que em 2017, quando tinha 17 anos, foi sequestrado em Bihar, estado no norte da Índia, e forçado a casar com uma jovem. "Eram dez homens apontando uma arma para mim, me ameaçando. Que outra opção eu tinha?", diz.

Casos como o dele são comuns nessa região.

Um relatório da polícia diz que "em muitos desses casos, os jovens e seus pais são obrigados a aceitar o casamento porque há uma arma apontada para suas cabeças".

Mas o que explica essa prática? Segundo especialistas, a resposta está no sistema de castas que impera em muitas regiões da Índia.

Segundo a acadêmica Bharati Kumar, preocupadas em manter uma boa "linhagem", algumas famílias não veem outra saída a não ser a de forçar um jovem a se casar com sua filha. "As famílias pensam 'somos de uma boa família e queremos um rapaz de boa família também'".

No caso de Kunarm, apesar de ter sido forçado a se casar, ele se recusou a morar com a esposa e denunciou a família dela à polícia. "Minha vida será destruída se eu aceitar esse casamento. Quero estudar e ser bem-sucedido na vida", diz ele. "A família dela pode me matar se quiser. Mas não conseguirá me forçar a aceitá-la."

Bharati Kumar diz que nesse tipo de casamento "não há consentimento nem do noivo nem da noiva". E as mulheres também sofrem as consequências.

"A vida da garota também está destruída. E é culpa dos pais dela", observa a irmã de Kunar, Priyanka, ao ressaltar que "esse casamento não deveria ter acontecido" e que "a família está em choque".

Parveen Kummar, sequestrado e forçado a casar em 2012, diz que restam poucas opções aos noivos sequestrados. Primeiro, ele rejeitou a união, mas três anos depois aceitou viver com sua esposa. Agora eles têm dois filhos.

"Se eu não tivesse aceitado, depois nenhuma família teria permitido que eu casasse com sua filha."

Sua esposa, Marahani, optou pela resignação."Meus amigos me aconselham a esquecer o que aconteceu e viver feliz, que essas coisas acontecem na vida de qualquer pessoa."

Fonte: UOL

comentários