18/07/2018 (75) 99274-4456

Santo Estêvão

Ifarma

Trabalhadores da Embasa deflagram paralisação de 72 horas em Santo Estêvão

Vários serviços administrativos ficarão suspensos, mas o abastecimento de água e o tratamento de esgoto serão preservados

Por Portal TNews 04/07/2018 às 10:49:12

Trabalhadores da Embasa deflagraram uma greve de 72 horas, que segue até amanhã (5). A unidade de Santo Estêvão também aderiu ao movimento. O comunicado da paralisação foi  publicado no dia 26 de junho, no site do sindicato da categoria.

O diretor regional do Sindicato dos Trabalhadores de Água, Esgoto e Meio Ambiente, Edmilson de Jesus Santana, informou ao site Acorda Cidade que desde janeiro a categoria está discutindo com a Embasa a renovação do acordo coletivo de trabalho.

"Com a mudança da legislação via reforma da lei trabalhista, sabemos que as conquistas dos trabalhadores só são garantidas via renovação do acordo coletivo do trabalho. Sentimos a necessidade de anteciparmos esse processo, mas a Embasa tratou disso de forma lenta. Continuamos cobrando, eles começaram o processo de negociação, mas ainda temos as cláusulas econômicas", afirmou.

Ainda de acordo com o sindicalista, as negociações travaram na questão do reajuste salarial. Segundo ele, a empresa só quer conceder o INPC, que é de 1,69%, enquanto a reivindicação da categoria era de 5% inicialmente e foi reduzida para 3%.

"A empresa tem condições de dá um percentual melhor, mas a Embasa foi colocando dificuldade no processo e reduzimos com uma contra proposta de 3% no reajuste do salário, além do tíquete alimentação de 37 reais e não colocar coparticipação no plano de saúde", informou. Na coparticipação o trabalhador paga uma parte da despesa dos procedimentos médicos que realizar.

Com a paralisação, vários serviços administrativos ficarão suspensos, mas o abastecimento de água e o tratamento de esgoto serão preservados, pois são essenciais para a população.

"Temos o princípio de não provocar transtornos para a população. A greve vai até amanhã com uma assembleia marcada para sexta onde será discutida uma nova proposta. Não queremos greve, queremos que a Embasa tenha sensibilidade e veja as necessidades dos trabalhadores", afirmou Edmilson de Jesus.


Fonte: Acorda Cidade

comentários