23/10/2018 (75) 99274-4456

Esportes

Ifarma

Expectativa x realidade: sonho do hexa de Neymar fica para 2022

Acabou a expectativa do hexa e do prêmio de melhor jogador da Copa

Por Portal TNews 07/07/2018 às 09:13:12

Vitor Villar - Expectativa x realidade. Sabe aqueles memes famosos na internet com esse nome? Pois bem, dá para resumir a atuação de Neymar na Copa do Mundo com um deles. A expectativa: o craque marcando gols e conduzindo o Brasil ao hexa. A realidade: o camisa 10 caído no chão, tentando cavar mais um cartão amarelo ou um pênalti.

Basta o leitor dar uma olhada rápida na sua rede social favorita. Quantas montagens e vídeos você recebeu nas últimas semanas brincando com o cai-cai de Neymar na Copa? Por outro lado, de quantos lances brilhantes do camisa 10 na Rússia você lembra e consegue descrever perfeitamente?

O fato é que só houve uma partida em que, indiscutivelmente, o atacante honrou a expectativa. Foi contra o México, pelas oitavas de final. Num jogo difícil, o craque chamou a responsabilidade e fez as jogadas dos gols da vitória por 2x0. Inclusive, foi autor de um deles.

Claro que há de se pesar a falta de ritmo de Neymar. Sem dúvida, a cirurgia a três meses da Copa do Mundo diminuiu sua capacidade física. Na estreia contra a Suíça, o camisa 10 buscou insistentemente a jogada individual e fracassou. Acabou destacado mais pelas faltas que sofreu do que pelos dribles nos adversários.

Diante da Costa Rica, altos e baixos. Primeiro, o descontrole emocional injustificável. Um soco na bola quando o placar não saía do 0x0 e um cartão amarelo de graça, que poderia tirá-lo de alguma partida futura. Depois, alívio com o gol de Coutinho e o primeiro dos seus dois gols no Mundial, em jogada de Douglas Costa.

Antes da bola rolar contra a Bélgica e levando em conta as boas atuações diante da Sérvia e do México, Neymar claramente estava em evolução. Mas no momento em que a Seleção mais precisou do craque, ele sumiu na marcação.

Curiosamente, a derrota para a Bélgica por 2x1 foi a partida em que Neymar menos forçou a falta. Um lance foi até exótico: ele caiu na área e, depois que os demais brasileiros reclamaram com o juiz pelo pênalti não marcado, levantou e confessou que não houve infração.

O único gol do Brasil, de Renato Augusto, não teve participação dele. Apareceu em um passe para Coutinho, que perdeu chance incrível, e em chute de fora da área nos acréscimos, defendido por Courtois.

Por fim, Neymar volta para o Brasil com mais dois gols em Copas. Metade do que fez há quatro anos, em casa. Foi novamente vítima do quinto jogo. Em 2014, não pôde jogar a semifinal, lesionado. Agora, caiu uma fase antes, nas quartas de final.

Acabou a expectativa do hexa e do prêmio de melhor jogador da Copa. De volta à realidade: pensando em benefício próprio, Neymar terá agora que buscar o prêmio de melhor jogador do mundo pelo PSG. Já o título mundial pela Seleção ele terá que buscar em 2022, no Catar, quando terá 30 anos.

Fonte: Correio 24h

comentários