23/10/2018 (75) 99274-4456

Esportes

Ifarma

Leão tem campanha idêntica à de 2017, quando só escapou no fim

Vitória possui 19 pontos ao final do 1º turno da Série A; problema mesmo é a defesa

Por Portal TNews 21/08/2018 às 10:56:47

Acabou o primeiro turno do Brasileirão e, junto com ele, o Vitória carrega uma grande preocupação. Após mais um resultado expressivo, desta vez uma derrota por 3x0 contra o Palmeiras, no Barradão, o rubro-negro precisa se organizar pra encarar o segundo turno e se reerguer.

É cedo para se desesperar e dizer que o fantasma da Série B visitará a Toca do Leão ao fim da temporada, afinal, ainda faltam 19 rodadas pela frente. Porém, é necessário, sim, pensar no rebaixamento e, principalmente, como escapar dele.

O time concluiu o primeiro turno desta Série A na zona de rebaixamento: em 17º, com 19 pontos. O que mais preocupa nem é a colocação na tabela em si, mas os outros números do time agora treinado por Paulo Cézar Carpegiani. Dos 19 jogos que fez, o Vitória venceu apenas cinco, empatou quatro e perdeu 10 - campanha idêntica à do ano passado, quando a equipe escapou da degola apenas na última rodada. 

O que muda, na verdade, é o saldo de gols. Em 2017, quando teve a pior virada de turno da história no quesito gols sofridos, o Vitória levou 30 gols e ficou com saldo negativo de nove, mas, este ano o cenário é ainda pior. Foram 20 gols feitos e 39 tomados (saldo de -19). Ou seja, o rubro-negro tem uma média de mais de dois gols sofridos por jogo. Desde 2008, quando disputou pela primeira vez o Brasileiro neste formato de pontos corridos com 20 clubes, o Leão nunca encerrou o primeiro turno com um saldo de gols tão ruim.

Nos anos em que foi rebaixado, o time terminou a primeira parte da competição com apenas cinco triunfos. Em 2010, somou, na primeira etapa do torneio, 22 pontos, com cinco vitórias, sete empates e sete derrotas. Já em 2014, foram 15 pontos, com só três triunfos, seis empates e 10 derrotas.

Nas duas últimas edições da Série A, de 2016 e 2017, o Vitória perdeu na última rodada, mas escapou da queda graças aos jogos dos demais adversários. Nestas duas competições, o clube também virou o turno com somente cinco triunfos. Em 2016, foram 22 pontos somados, com sete empates e sete derrotas, enquanto no ano passado foram quatro empates e 10 derrotas.


Sem entrosamento

Em 19 rodadas do atual campeonato, o Vitória mandou a campo 18 formações diferentes. O rubro-negro só repetiu um mesmo time uma vez, quando teve na segunda e terceira rodadas uma equipe formada por Caíque; José Welison, Kanu, Ramon e Pedro Botelho; Uillian Correia, Willian Farias e Yago; Rhayner, Neilton e Denilson.

Ao todo, foram 36 diferentes jogadores utilizados no time titular. Se estendermos aos reservas que entraram no jogo, o número sobe pouco: 39. Foram três treinadores à frente do time vermelho e preto. Vagner Mancini iniciou o torneio e foi demitido após o fim da 16ª rodada. Ele entregou o time na 14ª posição, com 16 pontos somados (cinco triunfos, três empates e oito derrotas). Depois da sua saída, o Vitória ainda não venceu nenhum jogo.

O interino João Burse contribuiu com um ponto. Ele comandou o time nas rodadas 17 e 18, com um empate e uma derrota. Já Carpegiani, que assumiu na semana passada, estreou com derrota e ainda não somou pontos.

O Vitória sofreu gols de 15 dos 19 clubes que enfrentou no primeiro turno. Os únicos que não conseguiram vazar a defesa rubro-negra foram Chapecoense, Corinthians, Paraná e Sport. Por outro lado, o ataque marcou gols em 14 dos 19 clubes que enfrentou - só não passou pelo bloqueio de Corinthians, São Paulo, Atlético-PR, Grêmio e Palmeiras.

Todos os triunfos do Vitória nessa Série A foram por um gol de diferença. A primeira vitória veio na 5ª rodada, quando o rubro-negro bateu o Vasco, por 3x2, em São Januário, no Rio. Depois, a equipe só ganhou no Barradão: fez 2x1 no Ceará e venceu Chapecoense, Sport e Paraná, todos por 1x0.

No Barradão, o Vitória fez um total de nove partidas e somos 14 pontos. Venceu quatro confrontos, empatou dois e perdeu três, com 11 gols feitos e 12 sofridos (51,9% de aproveitamento). Como visitante, os números despencam. Dos 10 jogos que fez longe de casa, o Leão venceu apenas um, empatou dois e perdeu os outros sete (aproveitamento de 16,7%). Foram nove gols feitos e 27 sofridos.

O rubro-negro também acumula seis goleadas sofridas nos 19 primeiros jogos, sendo quatro delas como visitante. Perdeu para Santos (5x2), São Paulo (3x0), Bahia (4x1), Atlético-PR (4x0) e Grêmio fora de casa, além de sofrer 3x0 diante do Palmeiras, no Barradão.

Fonte: Correio 24h

comentários