23/10/2018 (75) 99274-4456

Brasil

Ifarma

Agredido por alunos no Rio, professor diz que acredita na educação

Por TNews 21/09/2018 às 16:32:42

TV Globo

"Eu me senti muito mal, com muito medo, achando que eu ia morrer". É assim que o professor Thiago dos Santos Conceição descreveu os momentos logo após ser agredido por alunos durante uma aula de português no Ciep Municipal Mestre Marçal, em Rio das Ostras, cidade da Região dos Lagos do Rio de Janeiro na última terça-feira (18). 

 

De acordo com a Agência Brasil, estudantes humilharam o educador enquanto ele começava a aplicar uma prova. Um vídeo gravado no local por um aluno mostrou as cenas e viralizou nas redes sociais. Na filmagem, um dos adolescentes aparece rasgando as avaliações e ameaçando o docente de morte. Até mesmo uma pochete, que atingiu o quadro branco, foi lançada na direção do professor.

 

"Eles já vieram agitados de casa. Não sei o que aconteceu, estou até agora tentando entender o comportamento. Eu já tinha sofrido agressões antes, mas apenas de cunho verbal", explica.

 

O educador ainda conta que os alunos são indisciplinados, têm dificuldades de obedecer a comandos e costumam ser agressivos com outros professores. "Os vídeos são prova de que eu fui agredido, sofri diversos insultos e preconceito racial. Fiquei em pânico", falou. Thiago afirma, entretanto, que não deixará de dar aulas de português por acreditar no poder da educação. "A mensagem que eu falo para os outros professores é: resistam".

Bahia Notícias

 

Depois das agressões e da repercussão do episódio, o estudante que arremessou o objeto contra o quadro gravou um vídeo de desculpas para o educador. Ele se diz arrependido e afirma que cometeu os atos de violência no "embalo".

 

Em resposta, Thiago Santos afirmou que ficou sabendo do vídeo com o pedido de desculpas por meio das redes. "Eu aceito, mas entendo desculpa como mudança de atitude. Eu quero que eles mudem", ressaltou.

 

A Secretaria de Educação de Rio das Ostras porque não se sentia mais em condições de lecionar para os mesmos alunos. Segundo ele, a secretaria se dispôs a estudar a possibilidade de realocação.

comentários