13/11/2018 (75) 99274-4456

Política

Ifarma

Dr. Rey se oferecer para ser ministro e sugere ''eventualmente fechar o SUS''

Em breve fala com repórteres, ele disse que apoiou muito o presidente eleito e que é "da direita" como ele

Por TNews 09/11/2018 às 14:01:47

O cirurgião plástico e apresentador Robert Rey, conhecido como Dr. Rey, chegou ao condomínio onde mora o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), na zona oeste do Rio de Janeiro, com o intuito de se oferecer para comandar o Ministério da Saúde a partir do próximo ano. Rey disse que sua meta é criar um plano de seguro privado a cada cidadão e "eventualmente fechar o SUS".

O médico, porém, admitiu de antemão que talvez tenha dificuldades para ser convidado para o governo. "Talvez ele (Bolsonaro) dê risada da minha cara e eu vou embora, mas não tem problema."

Dr. Rey chegou ao local em um táxi no momento em que Jair Bolsonaro recebia o embaixador da Alemanha. De cara, o cirurgião logo antecipou o motivo da sua visita.

"Eu quero falar a verdade, que talvez cogitam eu pra ministro da Saúde. Fui criado lá fora, conheço o sistema de saúde do primeiro mundo. Eu sou da mídia, seria legal ter uma representação da mídia dentro desse governo", afirmou o cirurgião, que fez carreira nos Estados Unidos e declarou duas vezes que estudou em Harvard. "Eu só espero que talvez ele me cogite para ministro da Saúde."

Dr. Rey também antecipou seus planos, caso seja alçado a titular da Saúde. "Todo brasileiro terá seguro privado. Todo mundo terá o Einstein. Todo mundo terá direito ao Einstein. Por que não?", comentou, fazendo referência ao Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo onde Bolsonaro ficou internado após levar uma facada, em setembro.

O cirurgião criticou o Sistema Único de Saúde (SUS), dizendo que "é um crime contra a humanidade" esperar até dois anos por uma mamografia. "O que acontece no SUS é um crime. Eventualmente eu quero fechar o sistema público do SUS", declarou.

Ao chegar, ele admitiu que "talvez nem abram a porta". Dr. Rey saiu do condomínio 15 minutos depois sem revelar se conseguiu a audiência com Bolsonaro. "Está na mão dele", resumiu.

Fonte: Estadão Conteúdo

comentários