20/02/2019 (75) 99274-4456

Santo Estêvão

Ifarma

"É lamentável esta decisão do Estado, foi muito arbitrária" diz diretora do CELEM

As gestoras fizeram questão de ressaltar que não há divergência entre professores e gestores, e que todos estão preocupados com as consequências da decisão do Estado.

Por Portal TNews 08/02/2019 às 17:29:22

Em bate-papo ao vivo na TVDoor, nesta sexta-feira (8), as diretoras, do CELEM, Gérsia Ferreira e, do Polivalente, Antônia Ailda, falaram sobre a polêmica medida do Governo do Estado que, ao promover a unificação dos dois colégios extingue o Celem, passando alunos, professores e funcionários para o Polivalente, mesmo que continuem nas dependências do CELEM, que passará a ser um prédio anexo do Poli.

"Existia uma proposta [de unificação] mas não tinha um tempo disso acontecer" disse a diretora Antônia Ailda respondendo ao apresentador Waldeck Alves. A gestora reafirmou que todos foram "pegos de surpresa" com a medida. A atitude do governo provocou reação de professores pais e alunos. 

"É lamentável esta decisão do Estado, foi muito arbitrária" reclamou Gérsia Ferreira, diretora do CELEM, e relatou questões de segurança a serem observadas. "A estrutura do CELEM deixa a desejar na questão da segurança. Já enviamos várias solicitações para resolverem o problema", disse Gérsia a respeito de muros e áreas ociosas difíceis de serem controladas.

"O início das aulas já está prejudicado, começaria segunda-feira, mas estamos aí nessa luta", afirmou Gérsia, respondendo outra pergunta. "Na próxima semana temos de conversar com nossos alunos pra mostrar o que realmente está acontecendo, pra depois decidir em relação ao início das aulas." completou Antônia Ailda.

As gestoras fizeram questão de ressaltar que não há divergência entre professores e gestores, e que todos estão preocupados com as consequências da decisão do Estado. "Não existe briga entre gestores, professores e alunos, estamos todos juntos". 

As gestoras acreditam que a movimentação da comunidade e de autoridades façam com que o estado decline e mantenha os dois colégio independentes. "O prefeito Rogério inclusive nos acompanhou, é uma pessoa de muita influência e nós sabemos que podemos contar com ele" disse Gérsia, e completou: "Se de fato acontecer  essa junção, com a estrutura que as escolas têm, vai ser uma situação insustentável, três pessoas para gerir uma escola, com a amplitude que eles querem impor, é inadmissível.". 

comentários